SEO – O Melhor Investimento Para 2018

MITIC - SEO - O Melhor Investimento para 2018

SEO – O Melhor Investimento Para 2018

Esta semana, decidimos investir num ar condicionado para o escritório.

Tomada a decisão, começaram as pesquisas no Google: “ar condicionado Braga”, “ar condicionado Barcelos”… O resultado? Uma confusão. Anúncios do OLX misturados com repositórios suspeitos misturados com empresas legítimas.

Já deu para suar, e o calor ainda nem aperta…

Quando dei por mim, estava já, em desespero, a procurar nomes de empresas relacionadas com ar condicionado no Google Maps.

 

MITIC - SEO - O Melhor Investimento para 2018

Inscrevi-me na caça ao tesouro mais aborrecida da História.

 

Depois de quase uma hora de pesquisas e muitos becos sem saída, apercebi-me que estava a comprovar aquilo que há muito suspeitávamos; está aí uma oportunidade de ouro que quase ninguém agarra: o investimento em SEO.

Sem dúvida que o SEO (“Search Engine Optimization“, ou “Otimização para Motores de Busca”, em Português) ainda é um conceito alienígena a muitos. Mas também é certo que quem compreende o valor do SEO não pensa duas vezes antes de investir nesta estratégia sustentável.

 

Mas o que é o SEO?

De modo simples, o SEO consiste em otimizar conteúdos online, nomeadamente artigos de um blog, produtos ou portefólios, de modo a que estes sejam mais facilmente indexados pelos motores de busca (como o Google ou o Bing), e tratados como conteúdos de alta relevância.

Vamos trocar isto por miúdos. Voltemos à minha procura de ar condicionado: pesquisei no Google por “ar condicionado Braga”, e surgiu-me uma lista de resultados relacionados com os termos da pesquisa. Como utilizador, quero encontrar rapidamente o que procuro – neste caso, um fornecedor de ar condicionado em Braga com boa reputação. Por este motivo, como o Google quer que eu chegue ao website mais indicado, ordena os resultados da pesquisa pela relevância (isto é, a probabilidade de serem satisfatórios às minhas necessidades).

E como é que o Google “sabe”? Porque usa algoritmos avançados, que analisam o conteúdo de cada página web e as ordenam pela relevância face à pesquisa.

Quem é relevante, aparece primeiro; quem aparece primeiro, gera mais cliques; quem gera mais cliques, angaria mais clientes.

Sim, pode pagar-se para aparecer primeiro nas pesquisas através de campanhas SEM (“Search Engine Marketing” ou “Marketing de Motores de Busca” – a grande fonte de receita da Google) e em certos mercados esse continua a ser um ótimo investimento. Mas, muitas vezes, a concorrência nestes sistemas de leilões de anúncios online é tão alta que torna os investimentos pouco rentáveis. Isto é o mercado pago. O SEO é o mercado “orgânico”.

Se, em tempos, pouco ou nada se podia fazer para ser “o primeiro a aparecer no Google” organicamente (isto é, sem comprar publicidade), hoje sabe-se que há muito que se pode fazer, e a tudo isso se chama SEO.

Existem diversos métodos para otimizar conteúdos de modo a garantir uma melhor posição nos motores de pesquisa, desde a escrita, a escolha de palavras-chave estratégicas, a otimização de multimédia, e mesmo parâmetros técnicos como a velocidade de carregamento do website.

Eis a grande revelação: existem milhões de pessoas a pesquisar todo o tipo de produtos e serviços online, e pouquíssimas empresas a investir em SEO.

Não estava a brincar quando referi que andei às voltas à procura de fornecedores de ar condicionado. Todos os resultados que me surgiram – mesmo os primeiros – não estavam otimizados para SEO. Quer isto dizer que, caso uma empresa deste setor e localidade decida investir – mesmo que valores baixos – em SEO, dentro de semanas é catapultada para o primeiro lugar. Pode nem ter direito a medalha, mas provavelmente terá cem vezes mais cliques e um número crescente de clientes.

 

Vale a pena o investimento?

Se, de algum modo, se sente cético quando eu digo tão assertivamente “número crescente de clientes”, defendo-me dizendo que não digo barbaridade nenhuma.

Veja-se o artigo da Forbes que, já em 2014, apontava o SEO como um dos melhores investimentos a médio-longo prazo para crescimento. E sim, pode ser perigoso falar-se em números quando há tantos fatores em jogo. Mas recordo que não estou a falar sobre investir 10.000 € em anúncios do Google para procurar um retorno de investimento de 20-30%; falo sobre a oportunidade flagrante de investir, gradualmente, 100 a 1000€ em SEO, para, a médio-longo prazo, ter retornos que podem passar os 1000%. Isto porque, ao contrário da publicidade paga, que só gera resultados enquanto se alimenta a campanha com dinheiro, um SEO bem feito mantém-se forte por meses ou mesmo anos.

MITIC - SEO - O Melhor Investimento para 2018

Este gráfico da SmartKiss esquematiza o custo, tempo e visibilidade entre SEM e SEO.

 

Investir? Como?

Contratando um profissional ou uma equipa especializado em planeamento e implementação de SEO. A oferta em Portugal já começa a ser notória, principalmente ligada a indústrias tecnológicas. Na MITIC, não só somos especializados em SEO, como apresentamos um orçamento modular, e extremamente competitivo.

Na dúvida se vale a pena? Fale connosco – o Verão cá pelo escritório vai ser mais fresco, e vai ajudar-nos a tornar 2018 num marco da história da sua empresa. 

 

No Comments

Post A Comment